Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Uma Pequena história: cuidando do meio ambiental - Capítulo V

(Continuação)

Encostado na parede lateral direita do bar, Orlando, um rapaz de seus dezesseis anos, filho de “seu” Manuel, perguntou para Julia: “Afinal, o que é reciclar e o que o que pode ser reciclado? E, quais as vantagens da reciclagem?

Julia respondeu que RECICLAR é o termo usado quando determinado bem de origem industrial, artesanal e agrícola, que foi usado e descartado ao final do seu ciclo de consumo é re-feito, por indústrias especializadas.

A idéia da reciclagem foi adotada a partir dos anos setenta, quando a preocupação com o meio ambiente, diante das evidências científicas da deteriorização ambiental e a possibilidade real do esgotamento de determinados recursos naturais, fez o homem tomar consciência de que os recursos naturais eram findáveis e começavam a se tornarem escassos. Desse modo, governos, sociedade e determinados setores econômicos e empresariais passaram a adotar a idéia de que não seria mais possível desperdiçar e acumular de forma poluente materiais potencialmente recicláveis. Desde então, começou a busca por tecnologia que auxiliasse para a reutilização e reaproveitamento de vários materiais e produtos. Com isso, foi possível iniciar o processo de reciclagem. E, a cada dia que passa mais produtos e materiais são inseridos na lista de recicláveis.

Vejamos agora alguns matérias e produtos que podem ser reciclados e os que não são reciclados:

PAPEL RECICLAVELPAPEL: Caixa de Papelão,Jornal, Revista, Impressos em geral, Fotocópias, Rascunhos, Envelopes, Papel timbrado, Embalagens longa-vida, Cartões, Papel de fax, Folhas de caderno, Formulários de computador, Aparas de papel, Copos descartáveis, Papel vegetal, Papel toalha e guardanapo
PAPEL NÃO RECICLÁVEL: Papel sanitário, Papel carbono, Fotografias, Fitas adesivas, Stencil,Tocos de cigarro

VIDRO RECICLÁVEL: Garrafas de bebidas alcóolicas e não alcóolicas, bem como seus cacos. Frascos em geral (molhos, condimentos, remédios, perfumes e produtos de limpeza); ampolas de remédios; potes de produtos alimentícios.
VIDRO NÃO RECICLÁVEL: Espelhos, vidros de janelas, box de banheiro, lâmpadas incandescentes e fluorescentes, cristais.Utensílios de vidro temperado. Vidros de automóveis. Tubos e válvulas de televisão. Cerâmica, porcelana, pirex e marinex.

METAL RECICLÁVEL: Latas de alumínio (cerveja e refrigerante); Sucatas de reformas. Lata de folha de flandres (lata de óleo, salsicha e outros enlatados); Tampinhas, arames, pregos e parafusos. Objetos de cobre, alumínio, bronze, ferro, chumbo ou zinco; Canos e tubos.
METAL NÃO RECICLÁVEL: Clipes e grampos; Esponjas de aço

PLÁSTICO RECICLÁVEL: Embalagens de refrigerantes, de materiais de limpeza, de alimentos diversos; Copos plásticos; Canos e tubos; Sacos plásticos; Embalagens Tetrapak (misturas de papel, plástico e metal); Embalagens de biscoito.
PLÁTICO NÃO RECICLÁVEL: Ebonite (cabos de panelas, tomadas).


A reciclagem apresenta muitas vantagens, eis algumas: diminuição na quantidade do lixo a ser levado para os aterros sanitários; aumento útil da vida desses aterros sanitários, preservação dos recursos naturais, economia de energia, diminuição da poluição das águas, ar e terrestre, geração de empregos por meio da criação das indústrias de reciclagem, entre outros.

Luizinho, quase não contendo sua curiosidade, quis saber qual o tempo de degradação dos materiais. Julia, sempre solícita, prontamente respondeu:

Bem Luizinho, a relação de materiais e os seus respectivos tempos de degradação na natureza nem sempre ocorrem conforme os tempos informados nas tabelas que os estudiosos apresentam. Isso ocorre por razões muito óbvias – na degradação dos materiais vários fatores iram concorrer, tais como: temperatura, teor de umidade, PH do meio, luminosidade, pressão atmosférica, disponibilidade de oxigênio, e muitos outros. Assim, devemos considerar sob quais condições os materiais estão submetidos, para então avaliar qual o tempo de sua degradação. Por exemplo, O material encontra-se a céu aberto ou enterrado? A região é úmida e quente, como a floresta amazônica? Ou a região é seca e quente durante o dia e fria durante a noite, como o deserto do Saara? Este material encontra-se jogado no rio (água doce) ou jogado no mar (água salgada)? Este local é fundo ou raso? A região na qual se encontra depositado o material é região de águas quentes (exemplo: Nordeste Brasileiro) ou é região de águas geladas (exemplo: Antartida)? Os resíduos estão em nível do mar ou em nível dos Alpes Suíços? Os microorganismos são os mesmos e age igual, quando o material estiver em uma região quente (África do Sul) ou em uma região fria (Dinamarca)?

Vamos usar como exemplo para análise, o papel. Vamos pegar várias amostras desse material, com mesmo tamanho, peso e qualidade e colocar em diferentes pontos do planeta. Será que a degradação do papel será igual em todos os pontos que foram distribuídos? Como aprendemos, as condições do meio são diferentes, variando quanto à pressão, temperatura, altitude e latitude, etc. O mesmo se refere aos microorganismos que variam também. Assim, diante de tantas variáveis, será correto afirmar que haverá uma variação também no tempo de degradação do papel. E, portanto, as tabelas servem de referencia para valores aproximados e generalizados quanto ao tempo de degradação dos materiais no meio ambiente.

Mas, apenas a título de curiosidade, vejamos alguns materiais e o tempo que demora a sua degradação no meio ambiente.

MATERIAL E TEMPO PARA DEGRADAÇÃO
Jornais: 2 a 6 semanas
Embalagens de Papel: 1 a 4 meses
Casca de Frutas: 3 meses
Guardanapos de papel: 3 meses
Pontas de cigarro: 2 anos
Fósforo: 2 anos
Chicletes: 5 anos
Nylon: 30 a 40 anos
Sacos e copos plásticos: 200 a 450 anos
Latas de alumínio: 100 a 500 anos
Tampas de garrafas: 100 a 500 anos
Pilhas: 100 a 500 anos
Garrafas e frascos de vidro ou plástico: indeterminado


Virgem Maria! Exclamou dona Maria. Eu que pensava que estava contribuindo com a natureza quando pegava aquele monte de sacolinhas plásticas no supermercado para colocar lixo!

Ora, dona Maria! A senhora está é contribuindo com o seu bolso, pois deixa de comprar sacos de lixo. Disse João. Todos os presentes gargalharam.

Continua.....